Guilherme de Vasconcelos Abreu

ABREU, Guilherme de Vasconcelos (1842, Coimbra – 1907, Lisboa) é conhecido pelo seu permanente esforço em estabelecer em Portugal os Estudos Orientais nos mesmos moldes em que estes vinham sendo desenvolvidos nas nações europeias hegemónicas, bem como pela sua insistência em chamar a atenção das autoridades portuguesas para a eficácia desses estudos na administração das colónias do ultramar.

Filho de Guilhermina Cândida de Vasconcelos Abreu e de Vítor Madaíl Abreu, passou a infância em Coimbra, no Porto e no Rio de Janeiro, bacharelou-se em Matemática, tirando em seguida o curso de Engenharia Naval, área em que chegou a exercer funções, para além das de notário em Coimbra e Lisboa.

Dedicando-se paralelamente ao estudo de línguas, literaturas e religiões orientais, chegou a fundar em 1873 a Associação Promotora dos Estudos Orientais e Glóticos, cuja duração foi efémera.

Subsidiado pelo governo português, entre 1875 e 1877 estudou sânscrito, antropologia e egiptologia em França, Inglaterra e Alemanha com renomados professores (Abel Bergaigne, Martin Haug, Paul Broca, Gaston Maspero etc.).

Em 1877 foi nomeado lente do Curso Superior de Letras (actual Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), assumindo aí a cadeira de Língua e Literatura Sânscrita que lhe fora especialmente criada.

Foi membro da Academia Real de Ciências de Lisboa, presidente da Secção Asiática da Sociedade de Geografia de Lisboa, condecorado em Portugal e no estrangeiro e sócio-correspondente de diversas sociedades científicas.

Entre os seus trabalhos publicados destacam-se: Exposição feita perante os membros da Commissão Nacional Portugueza do Congresso Internacional dos Orientalistas (1874), Questions védiques (1877), Investigações sobre o caracter da civilisação árya-hindu (1878), Principios elementares da grammatica da lingua Sãoskrita (1879), Passos dos Lusíadas : estudados à luz da mitolojia e do orientalismo  (1892), Manual para o estudo do sãoskrito clássico (1881), Summario das investigações em samscritologia : desde 1886 até 1891 (1891), A lenda dos Santos Barlaão e Josafate: memória apresentada à 2ª classe da Academia Real das Ciências (1898), Os Contos, Apólogos e Fábulas da Índia (1902).

Bibl.: “Dr. Vasconcellos-Abreu”(1907), obituário Diário de Notícias; SANTOS, F. M. Cardoso (2010), tese de mestrado / Universidade de Lisboa.

E. M.