Safa Alferd Abu Chahla Jubran

JUBRAN, Safa Alferd Abu Chahla (1963, Marjayoun, Líbano), arabista, docente universitária e investigadora, tradutora.

33

Com dezenove anos de idade, quando seu país se encontrava em meio à guerra civil, viajou ao Brasil para visitar parentes e acabou por ficar aí.

No Brasil, estabeleceu residência na cidade de São Paulo, e mesmo antes de dominar completamente o idioma português, ingressou na Universidade de São Paulo (USP), onde se formou em Letras Árabe-Português, na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH).

Em 1992, integrou o quadro efetivo de professores da mesma Faculdade e passou a se dedicar ao ensino da língua, literatura e cultura árabes. No meio acadêmico, envolveu-se nas atividades de pesquisa nas áreas de linguística, fonética, fonologia, tradução, estudos críticos das fontes árabes, história da ciência, e ainda do árabe e hebraico, nos contextos das línguas semíticas.

Sempre com o ensino em mente, concluiu o mestrado com a dissertação intitulada Análise contrastiva do sistema fonológico do árabe e do português e suas implicações pedagógicas (1996).

Seguindo a linha de pesquisa do mestrado, em 2001, concluiu o doutoramento com a tese Aspectos contrastivos fonético-fonológicos do árabe e do português: sistematização dos dados em aplicativo multimídia. Mais tarde, este trabalho tornou-se no manual Árabe e Português: Fonologia Contrastiva (2004).

Em 2009, concluiu o Pós-Doutorado em História de Ciência, na Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, onde foi pesquisadora, tendo recebido, em 2010, o título de Livre-docente com o trabalho A classificação dos Povos, uma tradução comentada do manuscrito em árabe do século XI sobre história da ciência de Sa’id Alandalusi, publicado com o título Hierarquia dos Povos (2011).

Foi uma das responsáveis pela reformulação da Pós-Graduação de Língua, Literatura e Cultura Árabe que se unificou com o programa da área de Pós-Graduação em Língua Hebraica, Literatura e Cultura Judaica. A Universidade de São Paulo conta com o único programa de Pós-Graduação stricto sensu na área no Brasil. Atuou como coordenadora do Programa de 2013 a 2015, passando, desde então, a exercer a Chefia do Departamento de Letras Orientais da FFLCH.

Além de sua atividade principal como Livre-Docente da FFLCH, na Universidade de São Paulo, e a Chefia do Departamento é membro do Conselho Editorial da Revista Tiraz e do periódico Circumscribere (The International Journal of the History of Science). É membro pesquisador do grupo de pesquisa Etimologia da Língua Portuguesa; líder do grupo de pesquisa Tarjama – Escola de Tradutores de Literatura Árabe Moderna, colaboradora do ICArabe – Instituto de Cultura Árabe / São Paulo, que tem como objetivo estudar, divulgar e promover a cultura árabe no Brasil.

As muitas atividades não impediram que se dedicasse a disponibilizar para os falantes de português cerca de uma dezena de livros da literatura árabe moderna de vários países. Traduziu, entre outros, Azazel (2015), O chamado do poente (2013), E nós cobrimos seus olhos (2012), Yalo, o filho da guerra (2012), Porta do Sol (2008), Miramar (2003), dentre outros. Traduziu ainda, do inglês, a gramática de David Cowan, Gramática do árabe moderno (2007).

No sentido inverso, traduziu para o árabe o livro do escritor brasileiro Milton Hatoum, Chaqiqan (Dois irmãos) (2002).

34

Em 2014, Safa Jubran foi a vencedora do “Prêmio Literário de 2014” da Academia Brasileira de Letras, pela tradução de “E nós cobrimos seus olhos“, do egípcio Alaa Al Aswany.

35

SFL

Bibl.: Asma’ Min el Tarikh – Safa Gubran (Nomes da História – Safa Jubran), disponível em https://www.youtube.com/watch?v=zDPmx206dwM; A senhora das letras árabes, disponível em http://www.anba.com.br/noticia/16788242/oriente-se/senhora-das-letras-arabes/

Anúncios